Diario De Noticias Online, a Primeira Presença De Portugueses Na Bósnia : A Missão Da Onu – UNPROFOR

Notícias do dia de hoje em portugal: O nosso país como enquanto membro da ONU, UEO e UE, tem participado desde 1991 em todas as missões preventivas na tentativa de restabelecer e manter a paz na Ex-Jugoslávia. Desde de Março de 1992 participou na Missão de Protecção das Nações Unidas (UNPROFOR) atribuindo meios para missões com o objectivo de instaurar todas as condições de segurança necessárias a uma resolução negociada da crise.
Apoiou as resoluções das Nações Unidas sobre a imposição de sanções económicas e o embargo de armas à Federação Jugoslava, tendo participado nas operações de bloqueio naval no Adriático e Danúbio, na missão de imposição de uma zona de exclusão aérea sobre a Bósnia Herzegovina, em missões de auxílio a refugiados e na missão de administração e forças de segurança interna da cidade de Mostar.
Ao mesmo tempo no âmbito dessa ultima missão, o governo português disponibilizou meia centena de agentes da autoridade provenientes das diversas esquadras da PSP. Desta forma, a – PSP ( Policia de Segurança Pública ), participou no processo de paz na Ex-Jugoslavia desde o início do Mandato integrados na Policia Civil da UNO durante o mandato da UNPROFOR e no mandato da União Europeia na cidade de Mostar.
Neste momento encontram-se 50 agentes integrados na IPTF ( Forças Internacionais de Policia das Nações Unidas para a Bósnia e Herzegovina).

As Forças Militares Portuguesas na Bósnia : a Missão da NATO – IFOR

A missão dos militares portugueses da IFOR na Bósnia e Herzegovina teve inicio a 5 de Janeiro de 1996. 900 soldados portugueses oriundos do 2° BIAT ( Batalhão de Infantaria Aero-transportada ) e do DAS ( Destacamento de Apoio e serviço ) encontram-se desde o inicio do ano, localizados em Rogatica, Vosgosca e Gorazde, sob o comando de uma Brigada Italiana.
O principal objectivo da missão portuguesa consiste em salvaguardar a livre circulação na estrada que liga a Capital da Bósnia, Sarajevo e a cidade de Gorazde.
As forças Portuguesas incluem: um Destacamento de Ligação operando ao nível da Brigada e Comando da IFOR, um destacamento de Apoio e Serviço com mais de 100 homens, e o BIAT com cerca de 750 elementos.

A nova Missão na Bósnia : a Missão da NATO – SFOR

Os ministros da defesa dos diferentes países da NATO aprovaram no dia 17 Dezembro de 1996 a constituição de uma nova força militar para a Bósnia designada por Forças de Estabilização ( SFOR). Essa nova força militar ira substituir os elementos da IFOR a partir do dia 20 do corrente mês ( Dezembro ).
O novo contigente será constituído por aproximativemente 31 mil militares provenientes por metade dos diferentes países que constituem a NATO, nomeadamente de Portugal.

Uma nova Missão nos Balcãs : a Missão da NATO no Kosovo – KFOR

A KFOR, assim se chama a força, tem já 12.000 militares concentrados na Macedónia, e o seu plano de acção foi aprovado em Fevereiro deste ano na sede da NATO em Bruxelas.
A missão da KFOR, que será dirigida ao mais alto nível pelo comandante supremo das forças da NATO na Europa, o general americano Wesley Clark, e no terreno pelo general britânico Michael Jackson, é garantir um cessar-fogo e supervisionar um desarmamento geral na província sérvia do Kosovo.
No dia 16 de Março de 1999, o Conselho de Defesa aprova a participação de militares portugueses em futuras missões no Kosovo.
O Conselho Superior de Defesa Nacional deu um parecer favorável a uma eventual participação portuguesa na força de estabilização para o Kosovo, que venha a resultar das negociações reiniciadas em França.
O CSDN analisou a evolução da situação no Kosovo, em “especial no que se refere às eventuais modalidades de contribuição portuguesa” para a referida força de intervenção. Segundo o porta-voz do CSDN, general Goulão de Melo, este órgão decidiu dar parecer aquela participação, caso ela venha a ter lugar.
Dia 26 de Março, com o falhanço da tentativa de um acordo de paz para o Kosovo, a Sérvia prepara-se para uma acção da NATO e declarou o estado de emergência nacional.
Em Portugal, o Primeiro Ministro, António Guterres, declarou que está solidário com os seus aliados e irá participar na acção militar da aliança atlântica. Os três aviões portugueses estacionados em Itália irão voar missões de escolta e não de bombardeamento.


A Missão da IFOR no site da NATO, IFOR

 

 

A Missão da IFOR no site da Shape, Shape

 

 

Spread the love

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *