Apoio do Exército Português A Timor

Participação do Exercito português na reconstrução de Timor.

Obras realizadas e coordenadas pelos militares portugueses.

Continuação dos trabalhos de reparação de alguns troços das estradas de Dili-Aileu e Aileu-Maubisse com o auxilio de alguns cantoneiros timorenses.
Foram concluídos no dia 27 de Março, com a ajuda de 2 carpinteiros timorenses, os trabalhos de cobertura da escola de Fatuhai.
Os contactos com elementos Caleida sitio e com elementos das agências internacionais e ONGs presentes no TO, continuam a realizar-se periodicamente tendo em vista o levantamento continuo e a coordenação da satisfação das necessidades da população do sector.
Foram distribuídos livros e diverso material escolar em várias escolas primárias nomeadamente em (Same, Manahalo e HatoBulu).
Em Maubisse, além do material escolar, foram também entregues algumas sementes e alfaias agrícolas.
Continuam os trabalhos de reconstrução, como do antecedente, nas escolas de Fatuahi, Hera e foram iniciados trabalhos do mesmo tipo na pousada de Maubisse.
É prestada assistência médica e tratamento de enfermagem aos timorenses que precisam, em Becora, Metinaro, Hera e Kakaudiling e de modo geral, em todas as posições do Batalhão.

Agosto de 2000

A 22 de Agosto , o futuro exército timorense discutido em Aileu.

Elementos das Falintil podem ser integrados no batalhão português.
Equipas de ligação das Falintil poderão vir a ser integradas no batalhão português em Timor-Leste, para incrementar as relações entre os ex-guerrilheiros a os soldados do contigente militar internacional (PKF), revelou hoje o porta-voz da força de paz da ONU, coronel Nymo.
O anúncio surge no dia em que militares da ONU a comandantes das Falintil discutem, em Aileu, a estrutura do futuro exército timorense.

Fevereiro de 2001

Alileu 5-02-2001
Recrutas timorenses com fardas portuguesas

Portugal entregou hoje os uniformes aos primeiros efectivos das Forças de Defesa de Timor-Leste (FDTL), numa cerimônia realizada na vila de Aileu, que assinalou o início da instrução básica de 650 recrutas timorenses.
Os 800 uniformes foram oferecidos pelo chefe da missão de Portugal em Díli, Pedro Moitinho de Almeida, ao comandante das FDTL, o brigadeiro-general Taur Matan Ruak, no âmbito de um acordo de cooperação bilateral na área da defesa.
“Sinto orgulho por entregar este fardamento e por ver os soldados timorenses equipados com fardas portuguesas”, afirmou Moitinho de Almeida.
A instrução dos efectivos das FDTL, que substituíram as FALINTIL (Forças Armadas de Libertação Nacional de Timor-Leste) no dia 1 de Fevereiro, será ministrada por Portugal no centro provisório da vila de Aileu.
Ainda no âmbito da cooperação internacional com Timor-Leste no sector da defesa – acordada na Conferência de Doadores em Novembro de 2000 .

Spread the love

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *