A Crítica

Após o lançamento do seu primeiro álbum, Danças no Tempo, as críticas publicadas nas revistas e jornais louvavam a qualidade sonora e a originalidade dos Frei Fado d’El Rei. Leia de seguida o que foi dito sobre o grupo.

“Um passo atrás para dois em frente. Mais do que uma abrangente teoria política, podia ser o lema do quinteto Frei Fado d’El Rei. Lá atrás vão buscar a inspiração medieval para o som acústico. Como frente, exibem a solidez das raízes transformadas e uma das melhores vozes publicamente activas em Portugal.”

“Os Frei Fado d’El Rei apareceram recentemente com um trabalho que surpreende pela positiva. Os críticos disseram que este novo grupo era continuador da fórmula de sucesso dos Madredeus. Estavam enganados.”

 

“Com o seu estilo de música muito próprio, estes jovens têm um projecto bem cimentado e com qualidade suficiente para preencher um espaço no mercado português, uma vez que não têm concorrência.”

 

“Connoisseurs of good music have welcomed with open arms Danças no Tempo on Sony Music Portugal, the first album by Frei Fado d’El Rei. An acoustic band from Oporto, Frei Fado d’El Rei plays a stylish mixture of medieval/renaissence music and traditional, popular and fado songs. While in some respects the band is following the footsteps of Madredeus, Portugal’s top act, Frei Fado d’El Rei is a more exciting group, especially in concert, when the audience joins in with the singing and dancing”

“Não será exagero dizer que se está, perante a mais importante revelação o ano no panorama da música de intérpretes portugueses.”

 

“Quem os conhecia de outras “Danças” ou quem os descobriu por uma singela e tocante contribuição para “Filhos da Madrugada” (em que aceitaram o repto de pegar de novo na imortal Que Amor Não Me Engana) não podia esperar menos deste disco de estreia.(…) Permita-se o destaque para a “explosão” plena daquela que passa a ser uma das vozes de referência da produção nacional: Carla Lopes, possuidora de um registo às vezes emocionante e, ainda por cima, exposta como uma ntérprete de segurança e sensibilidade invulgares.”

“Depois da gravação de Que amor não me engana, incluído no álbum Filhos da madrugada, de homenagem a Zeca Afonso, já mostrava que os Frei Fado d’El Rei são um grupo que produz um som único.”

 

“Com o trabalho apresentado neste álbum, não será difícil aos Frei Fado d’El Rei conquistar o espaço que tanto desejam. Tanto mais que a aposta foi na qualidade, para assegurar uma futura carreira no mundo da música. (…) Sem entrar em comparações ridículas, pois é no “Chuva de Estrelas” que se vê quem imita melhor os ídolos, os Frei Fado d’El Rei podem muito bem brilhar com o seu primeiro trabalho, com alguns traços originais até aqui nunca ouvidos.”

“O resultado está à vista neste primeiro álbum, composto por temas que se misturam em perfeita harmonia e com uma nova identidade, géneros tão diversos como o fado, a trova medieval ou a canção de raiz popular.”

 

“Comprovando que já não são a virtuosa mas inferior imitação dos Madredeus, os Frei Fado d’El Rei revelaram a destreza e a originalidade que têm na criação de música de raiz popular, podendo mesmo ser considerados uma das melhores bandas deste tipo em Portugal.”

Spread the love

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *